quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Cooperativa de produtores familiares participa do Programa Brasil Sem Miséria

A Cooperativa dos Fornecedores de Aves de Brasileia , a Agroaves, que representa os produtores familiares que fornecem matéria prima para o frigorífico de aves, a Acreaves, é uma das primeiras cooperativas de produtores familiares a assinar contrato de comercialização com a iniciativa privada incentivada pelo Programa Brasil sem Miséria. O contrato é no valor de R$ 742 mil mensais.

O contrato de comercialização entre a Agroaves e o Supermercado Araújo foi assinado durante solenidade do lançamento do Programa Brasil sem Miséria na Região Norte, realizado em Manaus, no ultimo dia 28 de setembro. O contrato atende a um dos objetivos do programa que é a de ampliar as compras por parte da rede privada de supermercados.

O secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seprof), Lourival Marques e o diretor da Cageacre, Roosevelt Matos, o presidente da Agroaves, Otacilio Jorge da Silva e o diretor do supermercado Araújo, Rodrigo Severiano Pires participaram do lançamento do Programa Brasil sem Miséria na região Norte que contou com a presença da presidente Dilma Roussef.

Em seu discurso a presidente Dilma Roussef elogiou a parceria enfatizando que através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) os agricultores familiares estão dando um passo importante com a comercialização direto com a iniciativa privada.

O contrato, no valor de R$ 742 mil refere-se a um volume de compra de 174 toneladas de produtos mensal. A Agroaves é composta por 150 produtores familiares na criação de aves que é processada pela Acreaves utilizando de tecnologia para enviar ao mercado consumidor um produto de qualidade.

A Agroaves faz parte de um processo incentivado pelo Governo do Estado numa parceria entre o público, o privado e o comunitário e que vêm se consolidando e agora recebe mais um incentivo através do Programa de Aquisição de Alimentos que objetiva a comercialização direta com a iniciativa privada para fortalecimento da agricultura familiar.

Terezinha Moreira (Assessoria Seaprof)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário